Honestidade em Vendas

Confira neste importante artigo a visão do palestrante de vendas Cláudio Luvizzotti a respeito da importância da honestidade.

Honestidade é a palavra que indica a qualidade de ser verdadeiro: não mentirnão fraudarnão enganar.

Eu estava ministrando uma palestra para uma grande empresa de consultoria.

Perguntei aos diversos participantes se a honestidade era um tema importante para um treinamento de vendas.

Minha pergunta causou uma certa expressão de estranheza em alguns participantes.

Talvez estivessem esperando alguns tópicos importantes como:

Ao menos subentende-se que esses são os tópicos que os vendedores e as empresas preferem.

Infelizmente a palavra “honestidade” aparece muito pouco, certamente apenas em dois a cada dez.

Quanto à etimologia, a palavra honestidade tem origem no latim honos, que remete para dignidade e honra.

A honestidade pode ser uma característica de uma pessoa ou instituição, significa falar a verdade, não omitir, não dissimular.

O indivíduo que é honesto repudia a malandragem e a esperteza de querer levar vantagem em tudo.

Fechar uma venda não depende apenas de circunstâncias de preço, mas da identidade de valores.

A oportunidade de realizar bons negócios está na confiança entre vendedor e comprador.

A maioria das técnicas de vendas não se atenta aos valores humanos.

O resultado é sempre mais importante, na maioria das vezes demonstra que no jogo da negociação entre o vendedor e o cliente, o vencedor deve ser sempre o vendedor.

Sem amparo de valores humanos se incentiva um comportamento cuja a tendência moral seja líquida.

Não importando os valores, o que importa é a venda.

A moral líquida é capaz de se acomodar a qualquer forma e preencher qualquer tamanho de recipiente.

E isso é um grande problema.

O profissional de vendas que não é fiel aos seus nobres valores, a sua credibilidade é rasa. 

E credibilidade rasa, não produz bom crédito.

O prazer imediato do sabor da vitória de um contrato assinado ou uma venda realizada é apenas uma rápida passagem, um momento cujo o prêmio de uma comissão contribui para alguns pontos extras no demonstrativo de comissões de vendas.

Certamente em vendas há mais desvantagens do que vantagens em ser honesto.  

A falta de honestidade acaba manchando totalmente a imagem de uma empresa. Até mesmos os honestos pagam pelos atos dos desonestos.

E de repente, algumas questões:

  • Se meu concorrente é desleal, como posso concorrer?
  • Como se manter íntegro, num mundo desonesto?
  • Se eu for sincero e meu concorrente não, será que o cliente entenderá? E acreditará em mim?

Para essas perguntas e outras mais, lá vai a resposta:

“As pessoas são responsáveis por suas próprias desgraças”.

Vamos traçar um paralelo entre a prática médica e o trabalho de um profissional de vendas.

Se analisarmos a diferença entre uma imperícia médica e falta de habilidade em vendas, poderemos ter uma boa comparação.

A imperícia médica nem sempre prejudica o médico – os afetados, via de regra, é o paciente.

Mas um erro durante uma venda, sempre atinge o prestígio da empresa e principalmente o vendedor, esse duplamente: no bolso e em suas chances de uma carreira de sucesso.

Na corrida pelo sucesso, esquecemos que o mesmo bisturi que salva vidas pode tirá-las.

Aquilo que fazemos a um cliente pode se virar contra nós.

Portanto, confie em você, seja sincero.

Seja honesto.

 

Diga a verdade

Esse o único seguro contra a imperícia que a sua empresa e você podem contar.

 

Forte Abraço!

Cláudio Luvizzotti

 

P.S  – Aproveite para assistir um vídeo sobre a importância da honestidade e competência profissional:

Sobre o Autor Luvizzotti

Palestrante de Vendas, autor e treinador especialista em otimização de resultados de vendas há 17 anos. Com mais de 250.000 participantes, centenas de empresas em mais de mil eventos realizados. Autor de diversos DVDs de treinamento, autor dos livros "Aprenda para Não Esquecer" e "Vendendo até em Pensamento".

Deixe um Comentário